Economia

Imposto mínimo global para empresas, a nova ideia dos países ricos



FAÇA PARTE DO FOLLOW THE MONEY:
🔷 Faça parte: https://pages.liberta.com.vc/follow-the-money/
—————————————–

Após a reunião dos ministros de fazenda do G7 (grupo que reúne EUA, Reino Unido, Alemanha, Japão, Itália, França e Canadá), foi anunciado o acordo para um imposto mínimo global para empresas.

Esse é o passo inicial para “nivelar” a tributação mundial, o que, na prática, significa uma medida protecionista que pode impedir países menores e em desenvolvimento de usar a tributação como ferramenta para atração de investimentos.

Em vez de um imposto mínimo, deveríamos ter um gasto público máximo, como já existe no Brasil o “teto de gastos”, para conter o avanço do estado e do seu alto endividamento global.

#ImpostoMínimo #JanetYellen #G7
_________
PRECISA DE AJUDA PARA INVESTIR?
💬 Fale com a Liberta: https://cutt.ly/lp_ulrich#liberta

Quer mais conteúdos gratuitos?
📱 TELEGRAM: https://cutt.ly/ulrich_telegram
🔊 SPOTIFY: https://cutt.ly/ulrich_spotify

(0:00) Introdução
(0:25) Ministros de Finanças do G7 chegam ao acordo histórico para imposto mínimo global para empresas
(4:03) Imposto mínimo global é medida protecionista de países ricos
(7:03) Janet Yellen: “Corrida para o fundo na taxação de empresas…”
(8:48) Corrida para o fundo é o gasto e endividamento público
(12:24) Dívida pública elevada pesa no crescimento econômico
(13:54) Brasil não deve ser impactado, mas países menores e em desenvolvimento, sim
(14:39) Legado negativo da crise de 2020 é a ideia do estado como promotor do crescimento
(17:04) Organizações supranacionais funcionam como governo mundial

Referências utilizadas no vídeo:
https://valor.globo.com/mundo/noticia/2021/06/05/g-7-concorda-com-novas-regras-para-taxao-global-de-empresas.ghtml
https://www.gov.uk/government/publications/g7-finance-ministers-meeting-june-2021-communique/g7-finance-ministers-and-central-bank-governors-communique
https://www.youtube.com/watch?v=eAs7vCyKJw0
https://ourworldindata.org/grapher/total-gov-expenditure-gdp-wdi?tab=chart&country=IND~USA~DEU~GBR~JPN~ITA~FRA
https://ourworldindata.org/grapher/historical-gov-spending-gdp?country=JPN~USA~DEU~GBR~FRA~ITA
https://www.imf.org/external/datamapper/[email protected]FM/ADVEC/FM_EMG/FM_LIDC
https://www.mercatus.org/system/files/de_rugy_and_salmon_-_policy_brief_-_debt_and_growth_a_decade_of_studies_-_v1.pdf

source

Etiquetas
Mostrar mais

43 Comentários

  1. Fernando, ja esta muito claro a anos que estamos lidando com um grupo de burocratas/globalistas/socialistas que querem a todo custo escravisar a população. Nosso ultimo resquicio de liberdade e tambem ultima ferramenta contra essa conspiração global é o bitcoin. Cada vez mais entendo a importancia das cripto moedas descentealizadas.

  2. Parabéns pelos seus vídeos, acompanho seu canal com muito interesse. No caso deste vídeo, pondero que o Estado não gera riqueza, só tem maior capacidade de distribuí-la de uma forma que o mercado não faz. Em razão da tecnologia, empresas também já não geram emprego como antes, cabendo ao Estado prover renda mínima para um grupo ainda maior de indivíduos. Por fim/por ora, o Estado responde pela infraestrutura sobre a qual o investimento privado prospera. Com ou sem concessão, esta continua sendo um bem coletivo sob responsabilidade do Estado. Saudações,

  3. É claro que para a maior partes dos países vão usar o dinheiro para pagar divida publica, como o meu, Portugal.

    Apesar de tudo este imposto é justo, não sei como é no Brasil, mas na europa saem noticias, todos os anos, como na semana passada, a uma subsidiária das Microsoft na Irlanda mas com sede nas Bermudas teve LUCROS de 250 milhões de euro e pagou zero, não é erro é mesmo zero. E isto acontece com todas as grandes empresas mundiais, como Facebook, Google, Apple e outros. Uma pequena empresa que tem 25k lucro tem que pagar 20% de imposto e a Microsoft tem 250 milhões paga 0%. Isto não justo para os países nem para as outras empresas, é concorrência desleal.
    Se o dinheiro foi ganho na europa deve ser pago na europa, e não numa caixa de correio num hotel abandonado nas bermudas.
    Fernando adoro os seus videos, mas neste penso que se esqueceu de falar destes problemas.

  4. A maioria dos comentários aqui, demonstram uma ignorância inacreditvável, na europa, tanto a Amazon como a Google este pagar bola zeroooo, porque apresentam despesas superiores a receitas. A Irlanda é criticada por todos os países na UE por esse politica e não me venham com a conversa do costume porque os países com maior percentil de imposto sobre o PIB, são todos os países nórdicos com Dinamarca á cabeça, sendo eles dos mais desenvolvidos em termos sócio-económicos mundiais

  5. Ulrich, sou um mega fã aqui do canal. Mas nessa acho que discordo. Entendo que isso limita de fato que esses países pequenos atraiam os investimentos.
    Mas será que isso não é positivo para a maioria? Temos empresas gigantes, como a Amazon, com grande atuação global e que usam da legislação desses poucos paraísos fiscais para pagaram o mínimo de impostos possível. Mesmo dominando mercado.

    Gostaria muito de ter uma resposta para saber se minha opinião faz sentido. Abraço

  6. PQP, agora cabe aos países menos desenvolvidos se juntarem para acabar com essa palhaçada, o BRICS e seus vizinhos já devem fazer uma boa pressão. Pena que será quase impossível.

  7. Me faz lembrar de reuniões de grupos ditos interessados em ESG, Bem estar social, Aumento de Impostos, Impressão desenfreada de dinheiro,Gastos Públicos Acima da realidade, quem pede imposto é maluco ou é canalha que gosta do governo e seus parasitas. Quem está sem poder geopolítica e financeira, países não poderão contrariar essas idéias na minha humilde opinião são socialistas com fortes ideias

  8. Sob o discurso de "justiça social" enormes maldades serão feitas… o ser humano não aprende mesmo, a história se repete: no passado em nome do 'bem" muitos foram para as fogueiras, quantas pessoas não perderam suas vidas em nome de tal e qual crença religiosa…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar