Crypto

Ethereum e a atualização EIP-1559. Haveria a possibilidade de um Fork ou de um ataque de 51%?

Eis que a novela atualização EIP-1559 continua e as preocupações da comunidade Ethereum apenas aumentam.

Desde que foi proposta a atualização de melhoria (Ethereum Improvement Proposal) EIP-1559, os pools de mineradores da rede têm se mostrado contra.

Dois dos três maiores pools de mineração da rede ETH estão se opondo à EIP devido à possível redução da receita dos mineradores.

Dentre estes pools, o F2pool indicou apoio à proposta, entretanto, os pools Sparkpool e Ethermine não estão contentes com a mudança.

E isto é muito significativo uma vez que estes dois somados representam 44% dos pools de mineração da rede.

O pior é que os ânimos se exaltaram desde que os desenvolvedores anunciaram que estão acelerando os processos para poderem executar o mais breve possível a atualização EIP-1559, programada para o Fork Londres.

Agora um grupo de mineradores está planejando uma resistência contra a atualização.

E a proposta do grupo dá um ar de sobreaviso sobre possibilidades inconsequentes à rede ETH.

Membros da comunidade de mineradores que fornecem energia hash para a rede planejam mover seu hashrate para o pool Ethermine por 51 horas em 1º de abril.

Primeiro que o número de horas (51) é um indício de um tipo de ataque de dominância de hash de uma rede de mineração de prova de trabalho (PoW).

O perfil RedPandaMining postou em sua conta do Twitter a proposta e marcou na postagem diversos outros grandes mineradores.

A postagem teve um número de “likes” alto. Já são mais de 1,1 mil likes e mais de 450 retweets.

Em uma das repostagens, o perfil CryptoMikel profere uma fala contra a Organização Ethereum:

“É hora da comunidade de mineração se unir para um propósito digno de todo o nosso HashPower. Vamos nos reunir para um show incrível em 1º de abril. Espero que esteja pronto @etherchain_org. Por um dia que deveria entrar nos livros de história da criptografia! Família da mineração se une.”

O minerador Ethereum Michael Carter, um dos maiores youtubers da rede ETH, disse que “o protesto é uma demonstração de força, e que não está atacando a rede, mas mostrando que os mineradores podem controla-la.”

Por outro lado, demais mineradores preocupados com a situação estão aumentando seu poder de hash para tentarem equilibrar forças na rede.

A briga é grande.

Apesar da probabilidade de acontecer um ataque de 51% à rede ETH ser remota, o número de mineradores que de fato aderirão ao plano é imensurada.

A atualização EIP-1559 introduzirá um novo mecanismo de recompra de tokens para a sua queima abatendo as taxas de transação da rede, que de fato estão muito altas.

Isto poderá impactar severamente na alta lucratividade dos mineradores.

Além deste ataque direto contra a rede há a preocupação da comunidade em que, não havendo solução, a rede possa sofrer um hard fork separando os pools de mineração que aceitarem a proposta dos que são contra ela.

Na suposição disto ocorrer, as consequências poderiam ser devastadoras a curto prazo, pois a validação das transações e produção de novas moedas seria amplamente afetada.

A manutenção da rede, projetos, e ativos como os tokens, stablecoins e NFTs, seriam afetados também.

O protocolo Ethereum já enfrentou diversas críticas durante a sua evolução pelas ocasionais mudanças que foram feitas durante seu desenvolvimento.

A EIP-1559 é o mais recente deles e que tem causado uma das maiores divisões de consenso entre desenvolvedores e mineradores.

Uma mudança significativa que está atualmente em discussão envolve uma alteração no roteiro Ethereum 2.0.

Até a total transição do ETH1.0 para ETH 2.0 e a migração do processo de prova de trabalho (PoW) para prova de participação (PoS), os custos da rede ainda serão altos.

Mas as taxas de gás realmente estão tão altas que pouco se fala em custos referentes ao PoW.

Até devido a todas esta problemática o CEO do ETH, Vitalik Buterin, tem discutido com desenvolvedores a possibilidade de acelerar a implantação da fase 1.5 de fragmentação da rede.

A ConsenSys relatou a possibilidade de acelerar a atualização em uma postagem em seu blog a qual foi chamada de: “A prova que está em jogo está chegando ao fim do mundo mais cedo do que pensamos”. 

Entretanto, a fase 1.5 está a princípio programada apenas para 2022.

De positivo para tudo isso é que existe um plano em curso que transformará a rede ETH em PoS, e depois que isto acontecer o processo de mineração e os mineradores serão carta fora do baralho.

.

Cadastre-se agora! Eleita a melhor corretora do Brasil. Segurança, Liquidez e Agilidade. Não perca mais tempo, complete seu cadastro em 5 minutos! Acesse: http://www.bitcointrade.com.br/




Source link

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar